#7x1Day e a comemoração dos canalhas

Por | 8 de julho de 2015

brasilalemanhaHoje, 8 de julho de 2015, completa um ano da maior tragédia da história do futebol brasileiro: a derrota da Seleção Brasileira na semifinal da Copa do Mundo de 2014 para a Alemanha por 7×1, no Mineirão.

O povo chorou como nunca. Os canalhas comemoraram como sempre.

Hoje faz um ano que uma oportunidade de ouro foi dada ao futebol brasileiro. Era uma oportunidade de pensar, refletir sobre tudo o que aconteceu, estudar o que deu errado e, então, mudar de uma vez por todas. Era hora de dar um passo para trás dois para frente, em direção à cadeia global do futebol – e não continuar na rabeira dela, exportando pé-de-obra.

Agarramos essa oportunidade? Não. Mas vou dar esse desconto: ninguém entendeu direito o que aconteceu e, especialmente, como aconteceu.

Revi o massacre em forma de jogo de futebol hoje, até para ter um pouco de inspiração na hora de escrever esse texto. O primeiro e o segundo gol foram, em certa medida, normais – de um time extremamente qualificado contra outro meramente esforçado e sem o seu maior ídolo. A coisa saiu do prumo depois do terceiro tento.

E é aí que está a chave do problema: ficamos sem reação. Vimos os alemães entrarem na área como queriam. Vimos os jogadores – o capitão postiço incluso – atônitos. Vimos Felipão apoiado no banco de reservas esperando uma solução mágica cair do céu.

Não caiu. Ficamos sem reação. E, sinceramente, estamos até hoje.

Veio a derrota para a Holanda. Voltou o “Dunguismo”. Vieram vitórias consecutivas e uma queda vergonhosa na Copa América desse ano.

E ainda não reagimos.

Enquanto isso, os canalhas riem. Riem porque não torcem pra “seleção da CBF”, mas defendem com unhas e dentes o “estado do PSDB” ou o “Brasil do PT”. Riem porque deixaram de sentir o futebol há muitos anos por causa de uma profissão suja, que chafurda no lixo cada dia mais fundo em busca de um furo que justifique o salário de fome que recebe.

Riem na cara de todos aqueles que sofreram. Riem da Seleção Brasileira, cada vez mais desvalorizada, cada vez colocando menos medo nos adversários, cada vez menos respeitada.

Riem do maior símbolo brasileiro no exterior com a certeza de que são seres superiores e oniscientes. Por isso mesmo, fazem chacota de quem não ri junto com eles.

Hoje, um ano depois, fazem chacota do Brasil em rede nacional. E vão fazer na comemoração dos 5 anos, dos 10, dos 20…

Vão continuar fazendo porque é só isso que os canalhas sabem fazer: rir da desgraça alheia.

Comemoram os canalhas. Mas não os do bem, é bom que se diga.

Comemoram os canalhas que não sentem. E, por isso mesmo, riem.

E vão continuar rindo. Até desaparecerem e se darem conta do estrago que fizeram na cultura e no imaginário popular do povo brasileiro, tão carente de símbolos, ídolos e história.

Quando isso acontecer, vão rir mais ainda e jurar que não têm culpa.

Esse dia será o nosso #7x1Day.

Hoje não.

BC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *